jump to navigation

Eu me preparo para informar Junho 19, 2009

Posted by Lucas Gabriel Marins in Dia a dia, Faculdade, Política.
add a comment
Folheto do Sincado dos Jornalista do Paraná, feito para manifestação que será realizada amanhã, às 10h00, na Praça Santos Andrade, Curitiba.

Folheto do Sincado dos Jornalistas do Paraná.

Artigo Março 20, 2009

Posted by Lucas Gabriel Marins in Política.
add a comment

Difícil atualizar esse blog. Já que ultimamente estou sem tempo, vou colocar de vez em quando alguns textos interessantes que acho na internet ou recebo no e-mail. Esse artigo abaixo é de autoria de Eliane Cantanhêde, colunista da Folha de São Paulo, e chegou na minha caixa de mensagens via Rede Empresarial, um grupo de participação política virtual que faço parte.

O pipoco do Senado

A esta altura José Sarney deve estar bem arrependido de ter voltado a presidir o Senado.
Desde sua posse, os escândalos estouram mais do que pipoca em micro-ondas e nem ele e a também senadora Roseana escapam. É a pendenga PT-PMDB. Ainda bem!

Depois do castelo horroroso que assombrou a Câmara (e o país), o foco se desviou para o Senado. Casarão não declarado do diretor-geral, horas “extras” sem horas “ordinárias” em pleno janeiro, mês de recesso, o “nepotismo terceirizado” para empregar a parentada sem concurso, apartamento funcional de graça para filhos de diretores.

E mais: seguranças do Senado protegendo propriedades de Sarney no Maranhão, o que já seria esquisito, mas fica pior porque o domicílio eleitoral dele é outro: o Amapá. E passagens da cota parlamentar desviadas para amigos de Roseana passarem fins de semana em Brasília. O que, aliás, parece ser prática corriqueira na Casa.

A lista continua, e a última a pipocar foi do ex-adversário de Sarney na disputa pela presidência, o senador Tião Viana, que emprestou o celular do Senado para a filha usar em viagem ao México. Uma economia e tanto para a família. E quem paga a conta é… você.

É pipoca demais para pouco filme, e Sarney anunciou uma pausa para os comerciais: mandou afastar todos os 181 diretores do Senado, para uma espécie de reforma administrativa interna. Epa, peraí! 181 diretores?! Para 81 senadores?!

Antes de qualquer reforma, o Senado precisa responder ao contribuinte pelo menos três perguntinhas básicas: 1) o que cada um dos 181 faz e qual a importância do seu cargo? 2) quantos são concursados e estão tecnicamente habilitados para a função? 3) o “QI” -quem indicou- um por um.

O Senado está mais ou menos como a Faixa de Gaza sob bombardeio, uns sofrendo na pele, outros sofrendo na alma. Mas a guerra mal começou. E a Câmara que se cuide!

Eliane Cantanhêde, colunista da Folha de S.Paulo – 19/03/2009

Lista de Vereadores – Curitiba Outubro 6, 2008

Posted by Lucas Gabriel Marins in Política.
1 comment so far

Nome/Partido/Votos

Roberto Aciolli (PV) 17.377
Pastor Valdemir (PRB) 14.186
Serginho do Posto( PSDB) 12.661
Cantora Mara Lima ( PSDB) 12.627
Felipe Braga Cortes ( PSDB) 11.817
Professor Galdino ( PV) 11.736
João Cláudio Derosso ( PSDB) 11.189
Jairo Marcelino( PDT) 10.683
Beto Moraes ( PSDB) 10.382
Tito Zeglin ( PDT) 10.373
Francisco Garcez ( PSDB) 10.220
Aldemir Manfron( PP) 10.180
Sabino Picolo (DEM) 9.846
Dona Lourdes ( PSB) 9.302
Paulo Frote ( PSDB) 9.208
Celso Torquato ( PSDB) 9.115
Zé Maria ( PPS) 7.985
Roberto Hinça ( PDT) 7.492
Tico Kuzma ( PSB) 7.298
Jair Cezar ( PSDB) 6.768
Mario Celso ( PSB) 6.678
Joao do Suco ( PSDB) 6.640
Denilson Pires ( DEM) 6.439
Aladim ( PV) 6.315
Julieta Reis ( DEM) 5.896
Emerson Prado ( PSDB) 5.774
Osmar Sabbag Filho ( PSDB) 5.498
Odilon Volkmann ( PSDB) 5.387
Renata Bueno ( PPS) 4.984
Juliano Borghetti ( PP) 4.801
Pedro Paulo ( PT) 4.152
Algaci Tulio ( PMDB) 4.084
Juliao da Caveira (PSC) 4.041
Johnny Stica (PT) 4.016
Caique Ferrante (PRP) 3.888
Professora Josete ( PT) 3.884
Noemia Rocha ( PMDB) 3.810
Dirceu Moreira ( PSL) 2.593

Política – Eleição Proporcional Setembro 17, 2008

Posted by Lucas Gabriel Marins in Política.
8 comments

Recentemente um colega de faculdade tentou explicar como funciona a contagem de votos para vereador. Ele deu algumas informações interessantes, apresentou as fórmulas utilizadas, mas eu não consegui entender. Quando cheguei em casa, liguei no Tribunal Eleitoral e questionei sobre a eleição proporcional. Bom, foi perda de tempo. Nenhum dos atendentes soube explicar, o guri da assessoria me passou pra biblioteca e a moça da biblioteca enviou um artigo complicadíssimo que não ajudou em nada. Na semana passada encontrei um camarada, formando em direito, e fiz a mesma pergunta. O gurizão, esperto que só, explicou detalhadamente, deu exemplos, fez os cálculos e sugeriu artigos.
Abaixo, segue explicação do estudante Daniel Hachem.
A ilustração ao lado foi copiada do iureadblog.

Exemplo – Eleição Proporcional:

Número de vagas na Câmara – 5

Candidatos do PT/ Número de Votos
João – 350 votos
Paulo- 300 votos
Júlio- 200 votos
Igor- 40 votos
Total de votos válidos nos cadidatos do PT – 890 votos

Candidatos do PSDB/Número de Votos
Maria – 100 votos
Roberta – 90 votos
Silvia – 80 votos
Total de votos válidos nos candidatos do PSDB – 270 votos

Candidatos do PSOL/Número de Votos
Marcia – 70 votos
Ana – 50 votos
Gabriel – 48 votos
Giovana – 45 votos
Marcelo – 44 votos
Mauricio – 43 votos
Total de votos válidos nos candidatos do PSOL – 300 votos

Total de votos válidos: 890+270+300=1460

O primeiro cálculo a ser feito é o Quociente Eleitoral, que defini quais partidos terão direito as vagas. A fórmula utilizada é Quociente Eleitoral (Número de votos válidos) dividido pelo número de vagas.

QE = 1460/5 = 292

Sendo o quociente eleitoral 292, só terão direito as vagas existentes os candidatos do PT, que atingiram 890 votos, e os do PSOL, com 300 votos.

Então, independente do número de votos recebidos pelos candidatos do PSDB, nenhum deles será eleito, pois o Partido não atingiu o Quociente Eleitoral.

O segundo cálculo que deve ser feito é o Quociente Partidário, que diz respeito a quais candidatos dos Partidos que obtiveram o Quociente Eleitoral irão ser eleitos.
A fórmula é número de votos válidos dividido pelo quociente eleitoral

QP do PT: 890/292 = 3,047
QP do PSOL: 300/292=1,027

Dessa forma, o PT terá, inicialmente, 3 vagas, e o PSOL 1 vaga.

Mas ainda sobrou uma vaga.Para verificar qual partido ficará com a vaga é necessário fazer o Cálculo da Média de cada partido que é número de votos válidos de cada partido dividido pelo Quociente Partidário mais 1.

Cálculo da Média PT = 890/3+1 = 890/4= 222,5
Cálculo da Média PSOL=300/1+1 = 300/2=150

O PT obteve a maior média, então a última cadeira fica com o terceiro candidato mais votado do Partido.

Depois de todos os cálculos, os candidatos eleitos foram:

Candidatos do PT
João – 350 votos
Paulo – 300 votos
Júlio – 200 votos
Igor – 40 votos

Candidatos do PSOL
Márcio – 70 votos

Nenhum candidato do PSDB foi eleito, pois o Partido não atingiu o Quociente Patidário.

Entenderam?
Eu entendi. Lembre que isso é só um exemplo.
Muito obrigado pela explicação Daniel.