jump to navigation

A entrevista Abril 6, 2010

Posted by Lucas Gabriel Marins in Dia a dia, Faculdade.
trackback

Ele coça o rosto. Olha para cima, deixa os olhos semi-abertos e vira a cabeça de lado. Está pensativo. Neste mesmo instante a repórter, a 30 cm dele, segura o microfone com uma das mãos e, com a outra, mantém uma agenda marrom à altura dos olhos. Revisa as perguntas. Repete-as em voz baixa. O cinegrafista, com camisa risca de giz, faz os últimos ajustes na Panasonic com lente Layca. “Como vou ‘bater’ o branco?”, pergunta. Ofereço as páginas do meu bloquinho. Todos prontos. Uma menina, quase albina, com dread na cabeça, camiseta colorida e um pedaço de bambu na orelha acompanha a filmagem. “Vim conhecer o trabalho da empresa.”

Os transeuntes, que passam pelo prédio histórico da UFPR, na Praça Santos Andrade, olham a cena. Também acompanha a entrevista uma vendedora ambulante, sentada a dez passos de distância em seu banquinho de madeira, colocado no meio de brincos, argolas, pulseiras e outras bugigangas feitas artesanalmente.

“O que você acha das políticas de cotas?”, a repórter pergunta. Ele gagueja. Deixa, novamente, os olhos semi-abertos, aspira e, por fim, responde: “Não sou contra, nem a favor…”.  Gesticula, enquanto fala, coça o rosto, olha para os lados, pisca rapidamente… Próxima pergunta: “Os cotistas sofrem preconceito?”. “Acchho qqquuuee… por favor, começa de novo.” “Claro”, ela responde. “Os cotistas sofrem preconceito?”, ela repete. O entrevistado vira a cabeça, procurando argumentos no ar ou nos rostos das pessoas. “Sim, lembro que, no começo, o povo que não passou na Federal dizia ‘Ah, um cotista pegou minha vaga… ’” “OK, muito obrigada pela entrevista”, ela finaliza.

Termina. Todos se despendem. Beijo no rosto da menina do bambu, beijo no rosto da repórter e aperto de mão com o cinegrafista. O vento está gelado. Apesar disso, um pingo de suor escorre pelo rosto do entrevistado. “E aí Lucas, fui bem?”  “Claro”, respondo, “mas prefiro você como repórter”. “Por que eles o entrevistaram sobre cotas, sendo que você não é cotista?”, pergunto. “Ah, acho que a repórter,quando me ligou, confundiu bolsista com cotista”. “Hummm”.

Anúncios

Comentários»

1. marwaiza - Abril 6, 2010

eu quero ser cotista ! heuheue


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: